Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Dicas



COMECE CAMINHANDO... 
Das atividades mais indicadas por médicos e especialistas estão; a caminhada e a yoga.
A Caminhada é adequada para todos que estão sedentários e começarão a praticar esportes.
É principalmente interessante para os fumantes, pois é uma atividade aeróbica que favorece a oxigenação e a desintoxicação, diminuindo os níveis de nicotina no sangue e aumentando os de endorfina, o que proporciona a sensação de bem-estar e diminui a compulsão pelo cigarro.
Atletas de Final de Semana
O estímulo crescente para a prática de esportes aliado ao grande número de academias de ginástica nas cidades, facilitam a decisão das pessoas para o início de atividades físicas, muitas vezes sem obedecer às devidas orientações para tal prática.
Mais de 50% dos atendimentos de consultórios de médicos ligados ao esporte são conseqüentes de exercícios mal realizados ou praticados em excesso, com o errôneo objetivo de "entrar em forma", muitas vezes sem tempo suficiente para uma preparação física adequada.
Alguns cuidados gerais devem ser tomados, como: alimentação adequada, hidratação, reposição de sais minerais perdidos durante a prática do esporte. Além, é claro, do uso de equipamentos adequados para cada esporte.
Na vida moderna, a tecnologia diminuiu parte da necessidade dos exercícios físicos no trabalho, lar e transporte, modificando várias características do ser humano. A preparação para a atividade física deve ser global, para que o desempenho do organismo seja melhorado. O conselho é que realizem um exame completo de avaliação física, contando com fisiologistas, ortopedistas, fisioterapeutas, nutricionistas e professores de educação física.
Para os sedentários que tomam a saudável decisão de praticar exercícios físicos, o melhor é começar com caminhadas que podem evoluir, com o tempo, para trote e corridas. Mas, qualquer que seja a atividade escolhida, ela deve ser feita sempre após as avaliações citadas e com acompanhamento de um profissional. Pratique esporte com inteligência. Não seja só um atleta de fim de semana.
EXERCÍCIO E ÁGUA

 

O exercício, principalmente em temperaturas elevadas, promove uma diminuição do volume sangüíneo, que é redistribuído perifericamente para aumentar a atividade da sudorese, na tentativa de dissipar o calor produzido nas reações metabólicas. A água desempenha papel fundamental termorregulatório, para manter o volume plasmático, para compensar a desidratação e reduzir a hipertermia e efeitos adversos no sistema cardiovascular. Esses efeitos adversos são evidenciados por uma diminuição do volume plasmático que aumenta a densidade sangüínea e sobrecarrega o sistema cardiovascular, aumento a resistência ao fluxo sangüíneo e conseqüente redução da performance. Pequenas quantidades de carboidratos e eletrólitos podem facilitar a absorção de água na circulação pelo intestino, a glicose e o sódio se interagem na parede do intestino. A glicose estimula a absorção de sódio e o sódio é necessário para a absorção da glicose. Quando a glicose e o sódio são absorvidos, eles facilitam a absorção da água.
ECOTURISMO
Atualmente milhares de pessoas estão a procura de ambientes naturais, como parques, zonas rurais, montanhas e outras áreas protegidas, para atividades de lazer, que vão desde um simples passeio até a prática de esportes de natureza como caminhadas. 

A natureza é frágil e precisa ser tratada com cuidado. Lembre-se que nestas áreas é impossível realizar trabalhos de limpeza e conservação da forma como acontece nas cidades. Portanto, a proteção destes locais depende muito do comportamento dos caminhantes.
Você pode evitar o impacto da poluição e da destruição das áreas que freqüenta. É só seguir algumas regras simples e os 10 mandamentos do ecoturista. 
 
1. Informe-se
Pesquise sobre o lugar antes de sair de casa. Entre em contato prévio com a administração da área que você vai visitar para tomar conhecimento dos regulamentos e restrições existentes. Ecoturismo também é aprendizado. Bem informado, você vai aproveitar melhor as atrações, além de compreender a importância de plantas e bichos.
 
2. Programe-se
Levando em conta seus interesses e preparo, escolha entre viajar sozinho ou em grupo. Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais. Avise a administração da área que você está visitando, sobre sua experiência, o tamanho do grupo, o equipamento que vocês estão levando, o roteiro e a data esperada de retorno. Estas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente.
 
3. Regras de convivência
Procure harmonizar-se com a natureza. Não faça barulho desnecessário, afinal somos todos convidados na natureza.
 
4. Os bichos são selvagens
Lembre-se de que você está no mundo instintivo dos animais. Não é seu papel fazer amizade com eles, nem impedir que um predador cace sua comida. Os animais só atacam se forem molestados. Mantenha sempre uma distância segura deles.
 
5. Não mude a paisagem
A natureza deve seguir seu próprio curso. Jamais abra clareiras para acampar, nem ajeite elementos como pedras e troncos para aumentar seu conforto. Se precisar fazer isso por segurança, retorne tudo ao seu lugar em seguida.
 
6. O seu lixo é apenas seu
Carregue um saco de papel para retornar a civilização todo o lixo que produzir, inclusive restos de comida e latas. Não queime, nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo.
 
7. Preserve os mananciais
A água pura de fontes e riachos é um recurso valioso para quem caminha muito tempo na natureza. Evite contamina-la com dejetos e sabões não bio-degradáveis. De qualquer forma, leve cloro ou outra substância filtrante. Utilize as instalações sanitárias que existirem. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros) na área, cave um buraco com quinze centímetros de profundidade a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água, trilhas ou locais de acampamento, em local onde não seja necessário remover a vegetação.
 
8. Não leve nada do lugar
Nunca arranque flores, nem colete conchas, sementes e pedras do caminho. Resista a tentação de levar “lembranças” para casa. A simples passagem de pessoas por um lugar já acarreta impactos ambientais, provocando erosões na trilha e espantando animais. Mantenha-se na trilha mesmo se ela estiver molhada, lamacenta ou escorregadia. A dificuldade das trilhas faz parte do desafio de vivenciar a natureza. Se você contorna a parte danificada de uma trilha, o estrago se tornará maior no futuro. Tire apenas fotografias, deixe apenas pegadas.
 
9. Atenção com o fogo
Um incêndio pode destruir em poucos minutos o que a natureza levou séculos para criar. Prefira sempre um fogareiro a gás. Se você realmente precisa acender uma fogueira, utilize locais previamente estabelecidos e somente se as normas da área permitirem. Mantenha o fogo pequeno, utilizando apenas madeira morta e tenha absoluta certeza de que sua fogueira está completamente apagada antes de abandonar o local. Se você fuma, muito cuidado com as bitucas de cigarro.
 
10. Não banque o engraçadinho
Aprenda as técnicas básicas de segurança, como navegação (como usar um mapa e uma bússola) e primeiros socorros. Para tanto, procure os clubes excursionistas, escolas de escalada etc. Tenha certeza de que você dispõe do equipamento apropriado para cada situação. Não se arrisque e nem coloque em perigo a vida de outras pessoas só para provar que é bom em subir em pedras, atravessar rios a nado ou enfrentar animais selvagens. Lembre-se: a maior parte dos acidentes na natureza acontecem por imprudência. O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo levar dias e causar grandes danos ao ambiente. Portanto, não se arrisque sem necessidade. Lembre-se: Leve sempre: lanterna, agasalho, capa de chuva e um estojo de primeiros socorros, alimento e água, mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração. 

 

 VESTUÁRIO E EQUIPAMENTOS 
Calçado - Item dos mais importantes para a sua segurança, deve ser escolhido criteriosamente, de acordo com o tipo de terreno que se irá caminhar: se íngreme ou plano, se com obstáculos, se em terreno molhado ou seco.
As botas são as mais recomendadas. Devem ter preferência as de cano alto, para evitar eventuais torções de tornozelo e em couro, por serem impermeáveis. Procure sempre comprar um tamanho superior a seu pé, já que isso o ajudará muito nas descidas íngremes, onde os dedos fazem atrito com a ponta do calçado, provocando grande desconforto. Seu solado deverá ser o mais largo possível, para dar estabilidade ao corpo e ter ranhuras grandes para permitir a melhor aderência ao solo.
Para longas caminhadas, prefira os calçados mais macios, tipo tênis, mas sempre com o solado como descrito acima e feito de tecido acolchoado e sintético. Use palmilha trançada por baixo e calcanheira, o que lhe garantirá grande conforto. Pode-se usar, também, 2 meias, uma fina por baixo e outra um pouco mais grossa por cima. Nessas condições, se evitam as bolhas e o bem estar é certo. 
 
Mochila - Outro ítem muito importante, sua escolha deverá ser decidida de acordo com o tempo gasto na caminhada. Prefira sempre mochilas com as seguintes características : Com alças o mais largas e acolchoadas possível, para ajudar a aliviar o peso: suas costas vão adorar. Com tiras na cintura, para manter o equilíbrio em terrenos acidentados e aliviar o peso nos ombros. Com fibras impermeáveis, para proteger sua maquina fotográfica e alimentos. Mas não confie muito: tenha sempre alguns sacos plásticos a mão, para proteger os objetos mais delicados.
É sempre bom que tenha vários compartimentos externos, com zíper, de modo a acondicionar objetos de uso imediato, tais como água, máquinas fotográficas, lanternas, canivetes etc.Sempre tenha em mente de não exceder em mais de 10% do seu peso e procure comprar mochilas que tenham material de fácil dissipação de calor na parte que fica em contato com o corpo. 
 
Calças - Dependendo da trilha, procure usar calças compridas, que são eficazes contra o frio, o vento e os mosquitos e protegem as pernas contra arranhões e espinhos, principalmente em trilhas à beira mar, cuja vegetação é mais "dura" . Para liberdade de movimentos, use-as bem folgadas. Os tecidos ideais são suplex e tactel, que são bem mais leves e secam com extrema facilidade. Para trilhas descampadas, use shorts ou bermudas, do mesmo material. 
 
Camisas - As ideais são as T-shirts em algodão, bem folgadas, evitando-se usar as de malha, por provocarem muito atrito com o corpo suado. As de cores claras são mais frescas e não concentram muito o calor do sol. Importante é sempre ter de reserva uma muda de roupa, caso haja necessidade.

Agasalho - Ítem da maior importância. Nunca o esqueça. Prefira os de material sintético, com zíper, que são mais leves e ocupam menos espaço; com amarras para os punhos e abdomen de maneira a que evitem que o vento frio entre e circule sobre o corpo. Escolha os impermeáveis, com capuz para proteção contra chuvas. Evitem os de plástico, por não dissiparem o suor, provocando mal estar.
 
Lanterna - procure não exagerar no tamanho. As de alumínio, com ajuste de foco, são as melhores. É sempre bom contar com oimprevisto de der de retornar à noite. Não esqueça de verificar estado das pilhas. 
 
Boné - com pala rígida, para a proteção da cabeça e dos olhos contra os galhos e demais obstáculos na trilha. Para o sol, são muito bons os chapéus de pano leve e aba arredondada em toda a volta, para a proteção dos raios solares que incidem no rosto e na parte traseira do pescoço, principalmente porque, em dias ensolarados, quando se olha muito para baixo, o pescoço costuma ficar irritado. 
 
Canivete - Nunca use os do tipo suíços, muito pesados. Procure utilizar o mais simples possível, que contenha pelo menos uma lâmina e um extrator de espinhos, muito útil em certas ocasiões.

Toalhas - Sempre levo uma pequena, indispensável para quem costuma transpirar muito, além de várias outras utilidades. 

Papel higiênico - Apesar de tudo o que foi exposto no ítem Nutrição poderá haver dias em que seu organismo não esteja muito satisfeito. 

Máquina fotográfica - Para registro dos momentos agradáveis que você certamente terá na caminhada. 


MEDICAMENTOS 

Repelente - Na mata, os períodos da manhã e final da tarde são os mais propícios à incidência de mosquitos e pernilongos e, para aqueles que têm muita sensibilidade, seu uso é imperativo. Se a caminhada for curta, basta passar antes de sair e deixar o frasco em casa, para não sobrecarregar a mochila.
 
Filtro solar - Mesmo usando chapéu, é necessário que as pessoas de pele muito clara o tenham disponível, pois sempre acabam se queimando no rosto e nos braços.

Leve também - Esparadrapo para prevenção de calos e bolhas, se os pés começarem a incomodar; band-aid para pequenos curativos ; mertiolate ; água oxigenada para desinfecção; algodão para a limpeza e, finalmente, algum analgésico, para traumatismos em geral, dores musculares e entorses. Procure acondicionar tudo em pequenas quantidades, para não pesar muito.

 

Facebook
Twitter
diario_ecocaminhantes
previsao_do_tempo
produtos
Copyright 2012 © Ecocaminhantes - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade
Ecocaminhantes Agência de Viagens e Turismo Ltda.
EMBRATUR 23.028922.10.0001-3